Meteorito gigante atingiu a Austrália há 360 milhões de anos, diz estudo

Objeto media entre 10 e 20 km de diâmetro e abriu cratera no sul do país. Testes mostram que rochas apresentam marcas de impacto extraterrestre.

Concepção artística divulgada pela Nasa mostra cinturão massivo de asteroides viajando ao redor de uma

O meteorito media entre 10 km e 20 km de diâmetro, declarou à AFP Andrew Glikson, professor convidado da Universidade Nacional da Austrália.

"É um achado", afirmou, referindo-se à cratera na bacia de East Warburton, no sul do país. O estudo foi publicado na revista "Tectonophysics".

"O que realmente impressiona é a extensão da zona de impacto, de no mínimo 200 km (de diâmetro), o que a torna a terceira maior superfície no mundo impactada por um corpo celeste". Glikson indicou que o estudo do terreno foi iniciado após outro cientista identificar amostras anômalas microestruturais.

"Depois disso, passei meses em laboratório fazendo testes em microscópio para medir as orientações dos cristais (…) e constatei que as rochas encontradas no local apresentavam marcas de um impacto extraterrestre", acrescentou o cientista.

"Trata-se de um asteroide de pelo menos 10 km de diâmetro", cuja queda sobre a Terra provocou um "impacto regional e mundial", ressaltou Glikson.

O asteroide, transformado em meteorito após tocar o solo, provocou uma imensa cratera, atualmente encoberta por uma camada de 3 km de sedimentos. Ao cair, teria provocado gigantescas nuvens de fumaça e vapor que, segundo o pesquisador, cobriram a Terra.

Asteroides desse tamanho entram em colisão com o nosso planeta uma vez a cada dezenas de milhões de anos, segundo os cientistas.

fonte